quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

DIa do Pensamento




Parabéns B-P...

Se Baden-Powell fosse vivo faria hoje 150 anos. Por isso, todos os anos neste dia (do seu aniversário) celebramos mundialmente o "dia do pensamento". Um dia de reflexão, de introspecção.. um dia em que todos nos lembramos dos companheiros de aventura, dos que ainda estão ao nosso lado e daqueles de quem temos saudades.

Neste dia recordamos as longas caminhadas, a chuva na cara, o dormir ao relento (as vezes com frio) e todas as coisas que não conseguimos explicar a quem nunca usou o lenço.

O lenço... que significa ele para nós? O nosso é castanho... e é lindo, pelo menos assim achamos. E porque achamos isso? Porque ele simboliza tudo o que nos faz sorrir, porque ele nos lembra todos os nossos companheiros, todas as aventuras... é um símbolo e para cada um será um símbolo diferente, de algo diferente.. muito pessoal.

Para mim sempre foi e sempre será um símbolo da amizade mais forte de todas, da amizade que nos une, que nos faz sorrir e nos fazer querer sempre seguir em frente.

Neste dia do pensamento que é também do 150º aniversário de B-P, nao ano em que o Escotismo comemora 100 anos... procura o telefone dos elementos da tua patrulha, mesmo os que já saíram do Grupo, e manda-lhes uma mensagem, um abraço, um beijo... mostra que te lembras deles e vamos dar uma graaaaaaande abraço castanho!!!

Deixa aqui o teu testemunho, a tua mensagem e diz o que te vai na alma... fala com todos e para todos...

Feliz dia do pensamento

JAP

16 comentários:

cenoura disse...

Uma vez recebi um e-mail que dizia mais ou menos isto:


"Alguns momentos escotistas:

* o compromisso de honra

* alcançar o "aquela" insígnia

*Cantar à volta de uma fogueira

* apaixonarmos-nos num acampamento

* vestir com orgulho o uniforme e principalmente o nosso lenço

* fazer actividades debaixo de uma chuvada

* chegar ao acampamento depois de um longo raide

* fazer amigos...

* Ajudar os outros, estando "Sempre Pronto"

* comer do mesmo prato e beber do mesmo cantil que os nossos companheiros

* contar anedotas que já foram contadas mil vezes e sem piada nenhuma!


* deitarmo-nos a ver as estrelas numa noite de acampamento


* trazer um amigo para os escoteiros

* numa praxe, pintar ou sujar a cara de alguém que está a dormir na nossa tenda!


*Contar historias à noite, seja à volta da fogueira, ou na tenda (quando os chefes já pediram silêncio!)


* Rir das necessidades que pensamos ter e que no campo são superficiais


* ensinar algo a um escoteiro mais novo


* fazer um bom trabalho e ficar satisfeito com isso :)


*Cantar de braços dados e com "aquele brilhozinho nos olhos" depois de um fogo de conselho


* sentir o aniversário do nosso grupo como se fosse o nosso próprio aniversário

* chegar de um acampamento e ir directamente para o chuveiro!

* saber fazer quando um acidente acontece

* tremer de frio nalgumas situações e passar calor noutras, mas saber que tudo faz parte e nos faz mais fortes!

* Ouvir o Eco do nosso grito: "11, 11, 11"

* reconhecer o poder da Natureza

* saber que não estás sozinho

*Saber o que significa: Irmão escoteiro

* chorar numa cerimónia...

*Dar o grito de patrulha com toda a garra!


* Partilhar o que temos


* perdermo-nos na mata e encontrar o caminho

*Comer chocolate e doces no saco-cama antes de adormecer

* encontrar peças de uniforme que já nos servem e pensar: "é pá... já tou cá há tanto tempo!"


* rir das piadolas que fazem na rua quando passas com o teu uniforme vestido


* Servir sem esperar nada em troca

*Pensar que chegarás a "velho" sendo sempre escoteiro :)

* ter amigos em lugares muito distantes e mesmo sabendo que é provável que já não os encontres mais, recordas-te deles com carinho

* E... recordar esse último abraço, como o início de uma grande amizade.


Este texto, escrito originalmente em castelhano, reflecte perfeitamente aquilo que sinto quando penso nos escoteiros.

Fazem parte da minha vida, de mim, daquilo que sou.

É com uma lágrima ao canto do olho que sinto um enorme orgulho por vos ter no grupo e por fazer parte do escotismo!

Um feliz aniversário para nós!

Bom dia do pensamento

Pedro Gonçalves disse...

Felizes os que observam o passado para poderem caminhar no futuro.

"impele a tua própria canoa" e sorri perante as dificuldades. BP fez o mesmo. No dia das comemorações do 150º aniversário, desejo um Feliz Dia do Pensamento.

Pi

peral disse...

O dia do pensamento é para mim sempre um momento em que penso naquilo que me faz continuar a ser Escoteiro.

Penso sempre nos meus companheiros de tantas aventuras e na amizade que ainda nos une e penso sempre nas maiores caracteristicas de um Escoteiro: Humildade, Fraternidade e Preserverança.


Foi isto que eu aprendi com os meus chefes, o Joao, a Teresa e a Claudia. foram eles que ensinaram a um miudo de 10 anos tudo o que significava ser Escoteiro. Cada um à sua maneira, cada um com as suas virtudes e os seus defeitos...

20 anos depois, com o lenço castanho sempre presente na minha vida em tantas e tantas coisas...

ontem estive à conversa com a Rita, uma Escoterinha que vi entrar no Grupo, de olhos curiosos e vontade de aprender... foi o Xavier que lhe pôs o lenço (era ele o Chefe de Grupo) mas lembro-me como se fosse ontem da conversa que tivemos com ela antes do compromisso, como sempre fizemos com todos... e ontem falar com esta Escoteira, já senior, que se quer testar a si própria perseguindo a maior conquista de mérito de um Escoteiro, a conquista de se superar a si própria e com isso ser uma "Escoteira da Pátria" (nome exterior de uma mudança interior muito mais significativa).

Numa dia em que já tinha almoçado com a Cenoura, a Escoteira mais choramingas que já conheci que se emociona com tudo e mais alguma coisa e agora é a Chefe do Grupo de todos nós...

Estive também com um João que é activo e reactivo no Clan e que me lembro bem de de ter muitos escolhos por ultrapassar quando chegou ao Escotsmo.. e agora.. está a breves passos do Escalpe vermelho e é já uma referência do Grupo.

Terminei a noite numa galhofa pegada com os meus grandes amigos Hugo "xutos" Xavier e Luis Ginja, falámos de tanta coisa e rimos sobre anedotas sem graça, historias repetidas já mil vezes... mas que nos continuam a fazer rir.

Que dia tão cheio tive e ontem... todos estes e os muitos outros que ficaram por referir são e serão sempre... os meus irmãos Escoteiros, mais proximos que todos os outros, porque partilham o MEU lenco e eu o lenço deles... o NOSSO lenço.

No dia do pensamento do 150º aniversário de B-P, deixo o meu elogio à Fraternidade Escotista, ao sabermos realmente o que quer dizer "Irmão Escoteiro"... quando esquecermos isso, teremos perdido tudo o que realmente importa.

Obrigado 11, és de todos, não és de ninguém, és do nosso coração.

Joao Peral

"a cantar castanho desde 1987"


Feliz dia do pensamento

Korana disse...

Wishes to you all on this special day from Slovenia.

Each time I leave my home and go into the world, I´m leaving it with a bit of a fear in my heart. Because we are all fragile creatures and are afraid of unknown. But the force in us to go abroad is stronger, because I have always wanted to know what is behind the mountain, what is on the other side of my town and what is on the other side of the world.

Bi-Pi probably had same fears. But he also had a vision and a courage to create a better world for us all, by creating this great movement of 38 milion guides and scouts, so we can see that the world is very small and there is no need to fear when you have sisters and brothers beeing prepared to welcome and help you in better or worse wherever you go.

It always amazaes me how quickly and spontaneously we can start to talk, laugh, and play when you meet someone from another part of the world...wearing a scarf...beeing a scout, just like me. Words are not neccesary. We recognize each others not only by scarfs, but also by a simple look.

I hope these 100 years are just a beggining and the new century of scouting will be marked by our good deeds and intentions to make this world a better place, for everyone. Let´s celebrate that.

I have met many scouts but you, Portugese are unique and special. Specialy special are some frends I have made in your amazing country like Joao Peral...and many of his good friends.

Stay strong, brave and keep an open heart because there are milions of faces of your brothers and sisters waiting to meet you all arround the world.

Korana
Slovenian guides and scouts
www.skavt.net

Paula Alegria disse...

Mesmo já não usando,no sentido literal da palavra, o lenço castanho, sinto-o sempre comigo tal como tudo o que ele representa.

No dia-a-dia continuo a colocar em prática o espírito escotista e a pautar-me pela nossa lei! Sim, porque ela passa a fazer parte daquilo que intrinsecamente somos e mostramos ser como pessoas.

Todos nós sabemos a dificuldade que é explicar a alguém que nunca passou por isso,o quão felizes nos sentimos quando depois de um acampamento chegamos a casa completamente sujos, cansados e por vezes com mazelas(e eu chegava sempre com alguma!lol!), mas sabendo que aqueles dias ficarão para sempre gravados na nossa memória como fazendo parte dos mais felizes das nossas vidas.Acontece ainda hoje comigo quando por exemplo me recordo do Clan's Trophy 2002 (Muito obrigada Peral!!!),magnífica experiência que fez o click na minha vida, nem sempre fácil,nem sempre com pisadas firmes...Enfim, um pequeno exemplo para mostrar a força positiva que o lenço tem para quem o usa.

Neste dia tão especial para todos nós, não se esqueçam que devem sempre tentar dar um pontapé no IM- de impossível tal como B.P. nos ensinou!

Feliz dia do pensamento!

Paula Alegria

Hugo disse...

A alegria de encontrar o silêncio no cimo de um monte

Os primeiros raios da manhã cruzam as árvores e encontram-me já fora da tenda, sentado numa rocha envolvido pela densa neblina que insiste em resistir. A chávena quente aquece-me as mãos e lembra-me que para além do frio que me queima a cara, existe um mundo confortável e aconchegante que fica à distância da ponta dos dedos e do sorriso nos meus lábios.
O sol acaba por chegar devagar até à pedra e com a força do seu calor vai afastando a ténue névoa que teima em ficar. Como que dançando levemente a humidade eleva-se no ar... parando por um instante e fazendo-me ver mais do que a névoa. Aos poucos e poucos liberta-se guiada pelo sol. A geada parte em forma de vapor e consigo ver por instantes as sombras e os reflexos dos espíritos do antigamente.
Para me lembrar que a noite fria ainda não vai longe, uma pequena rabanada de vento transporta até mim as cinzas molhadas da fogueira. São memórias de ontem, fragmentos que deslizam pelo chão empurrados pela aragem, que acabam por rolar ladeira a baixo até se fundirem com o bosque.
A perspectiva deste novo dia alimenta-me a vontade de o enfrentar… e espero que ao chegar ao final, ele me tenha deixado crescer um pouco mais, só um pouco mais para além de onde fiquei ontem…
Olho para cima e sorrio. Consigo finalmente vislumbrar o meu objectivo, o monte, a montanha, a Deusa que insisto em procurar. Lá em cima goza a sua eternidade, o seu eterno aconchego entre as nuvens, sorrindo e acenando com a sua enorme magia branca que me impele a persegui-la. Paro para a admirar, perco-me no seu abraço e medito... paro para respirar e encontrar em mim a energia que me irá conduzir através dos obstáculos do caminho. Concentro-me e fecho os olhos, apenas por um instante...
Olho para cima em contemplação uma última vez. Já estou pronto. Fecho a tenda, e ponho a mochila ás costas. É chegada a altura de enfrentar o meu destino... a liberdade!

Hugo disse...

BePas...

Fazes cá falta!



Bom dia do Pensamento para todos!

MR. X

rita disse...

em primeiro lugar peço desculpa por n ter vindo comentar o post ontem, mas n consegui=S n cumprim a mnha promessa i com tal ca tou a faze lo as 7:39 AM

devo dizer q ontem, Dia do Pensamento, emocionei me ao ver q n sou a unica q relembra certos momentos da vida escotista, por quais tds os escoteiros passam:

-o compromisso de honra
-o alcance d certas insignias
-todos os fogos de conselho
-as praxes
-as meias rotas
-as passagens
-o joao peral a dizer pa tirar as maos dos bolsos...=)
-akeles q ja estiveram, os q estao, i os q estarao...
-rir d historias passadas com outros elementos, mas q ja foram contadas mtas vezes...

e destas i d tantas outra coisas q nos devemos lembrar, n so no dia do pensamento... mas todos os dias!! O escotismo faz-nos falta, i por isso devemos relembrar estas coisas, como s dependessem do escotismo para viver, como se ele ja estivesse tao embrenhado na vossa vida q n pudessem separa-los (vida i escotismo)...

mas ontem foi um dia especial... foi o aniversario d BP...i temos d agradecer, pq s n fosse ele,n estavamos aki a commemorar o dia do pensamento!

obrigado i parabens BP, obrigado escotismo...

obrigado aos dois, por terem feito d mim akilo q sou hj...pq n aguento um sabado sem escoteiros...

pq o escotismo somos nos, i nos somos o escotismo!!

uma grande CANHOTA a todos os q passaram plo 11, aos q estao, i aos q ainda virao...

peral disse...

Rita,

a proposito do teu post (e da questão das mãos nos bolsos) partilho aqui um detalhe que acho interessante sobre isso das gerações.

Já aqui foi deixada uma mensagem pela Paula Alegria, lembrando ela própria os seus tempos e a conquista das suas fragilidades. Ora, ao contares esse detalhes do "tira as mãos dos bolsos", recordei-me que quem me "ensinou" isso foi precisamente o Chefe Alegria, avô da Paula e um grande Escoteiro da AEP, quando eu tinha 11 anos e era junior, sub-guia da Patrulha Tigre, estávamos ao pé da ribeira num evento qualquer (a celebre corrida de carrinhos de rolamentos, acho eu) e o Chefe Alegria disse-me "sabes, quando um escoteiro tem as mãos nos bolos parece que não está pronto para fazer nada, que não está pronto para trabalhar e não inspira confiança a quem precisar dele".

Nunca mais me esqueci disso... e pelos vistos tu também não. ;)

Joao Peral

"somos todos 11"

Raphael disse...

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce...

Raphael

"11 no coração"

joao disse...

Nunca recusei um desafio!

Sabem, eu sou tão antigo tão antigo que o João Peral ainda era júnior…
Recebi do júnior o seguinte desafio “passa pelo blogonze e deixa la o teu testemunho... os novos Escoteiros do lenço castanho (de encanto tamanho) devem ir conhecer a sua "família”

E o que vos posso dizer é que quando passo por um lenço "Castanho" corre um arrepio pela espinha e faço a vénia, porque sei que ali vai um Escoteiro “à antiga” porque o verdadeiro espírito escotista ainda é o que era!

O meu verdadeiro espírito Escoteiro, esse ainda é e será, o vivido no Onze.


Sempre e para sempre Onze "Castanho de Encanto Tamanho".

Uma forte canhota!
João Azeitona

Malaquias disse...

Vim tarde, mas nunca é tarde para se dizer o que se pensa.

Lembro-me daquelas inumeras actividades que tive, com muito pessoal que conheci e não esqueci. No dia do pensamento lembro-me mais que nunca de tudo e tudo o que passei e aprendi.

O meu progresso escotista começou na Alcateia, sendo um Lobito de apenas 8 anos onde aprendi muito e cheguei a Lobito Alerta e guia do bando castanho. Ao mesmo tempo que o meu guia de Alcateia, Francisco Mozer, também Lobito Alerta. Aqui na Alcateia conquistei com esforço também o meu LENÇO CASTANHO e todas as minhas insignias de aptidão.

Mais tarde passei para a Tribo Júnior onde aprendi mais e vivi mais, na qual onde mais tarde fui Guia da Patrulha Leopardo, a qual ainda existe e da qual me orgulho. Aqui consegui a 2ª classe a qual ficou e durou lol.

Com a idade, fui Sénior, onde consegui reabrir a Patrulha Esquilo a qual também gostei do que vivi e do que consegui fazer e mais tarde do que não consegui fazer também.

Ainda cheguei a ser Aspirante a Caminheiro, ficando-me pelo primeiro estágio, mas com esforço é que consegui chegar ao primeiro estágio.

Tive que sair por motivos pessoais mas lembro-me de todas as actividades, todas as coisas que vivi neste grupo e quem sabe, ainda as vá viver!

Uma canhota a todos os que conheço, a todos os que são, os que foram, e os que ainda serão Escoteiros do Grupo Onze de Odivelas!

Força a todos ai e mais tarde ou mais cedo irei fazer uma visita. Será mais rápido que parece.

Força!

David Malaquias

João Arcanjo disse...

Ora cá estou eu finalmente. Um entre muitos, mas não menos importante, eu sei. Fui convidado pelo Diogo Costa a escrever algo aqui. Não é que não quise-se, mas sim porque só agora consegui parar para escrever algo decente.

Hmm... Dia do Pensamento... Que há a dizer afinal? Tanta coisa, é certo, mas...
Para mim vejo um dia onde celebramos algo em comum, um dia de reflexão que sabêmos (nós, escoteiros) que estão milhares de rapazes e raparigas com os mesmos valores que nós a pensarem nas suas vidas e nos seus progressos escotistas. Mas não é um pensar qualquer. Para dizer a verdade, encontram-se também para partilharem experiências ou mesmo para conviver e dizer parvoiçes.

Damos por nós a lembrar:
"Pah, ó Diogo, lembras-te quando o Tércio na Sénior, em Montargil, comeu as 22 sandes num só almoço?"

ou

"Alex, e quando eu e tu chegámos ao primeiro posto na actividade de kayak no Zêzere, no Clã?"

ou até mesmo

"Jesuita, e quando tu ias caindo pó lado na passagem para a Sénior, na Quinta da Fontareira"

ou ainda

"Porra Rui, fartamo-nos de dar ao braço, na Sénior, na nossa janganda de uma tonelada, lá no Tejo. Ahh... grande URUBAMBA"

...E não será mesmo feito de coisas assim o Escotismo?
Não é possível dizer com certeza. Para uns é algo completamente diferente.

Eu pessoalmente equiparo muitas vezes o Escotismo com o Oxigénio e, muitos de vocês, compreenderão porquê. Para mim é impossível passar sem os escoteiros. Lembro-me quando, por razão de ser feriado ou algo semelhante, não havia reunião ao sabado, ficava em casa mas com aquela sensação estranha de um vazio inexplicável. Só quem é escoteiro e o vivo com toda a intencidade é que entende estas coisas..... infelizmente. Penso que o Escotismo é algo essencial a qualquer jovem, mas cabe a cada um perceber as suas necessidades pessoais e saber onde ir saciar essa 'sede'.

Enfim, só tenho a dizer que por mais que se escreva, é impossível descrever a imensa emoção e orgulho de envergar o 'castanho' ao pescoço.

Canhota a todos em geral de um 'Onzário' caminheiro,
João Arcanjo

Peral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

desculpem so comentar agora, mas tive a ler os comentarios com muita atenção e senti um remoinho de pensamentos dentro de mim, e cheguei a conclusão que não conseguia viver sem o 11, os meus melhores amigos estão estiveram no 11, quanto às actividades já foram algumas, em que arranhei as pernas todas, andei a pera com as hienas quando era da junior, levava uma mochila cheia de tralha quando era leopardo e aprendi a lavar a loiça e a passar alguma fome, dai me lembro tambem de todos os colegas e chefes que tive.
Quanto a passagem para a sénior achei dificil e ainda tive maus momentos, mas aseguir abrir a esquilo com o xico, joão, malaquias entre outros foi espetacular, depois vir a ser guia daquele pessoal todo foi um grande desafio em que houve muitas coisas que podiam ter corrido mal mas no fundo safamo nos...
Urubamba foi duro, Acnac portamo nos bem mas o que eu gostei foi de perceber e defender a posição do 11 para com os outros grupos, obrigado ao xico pelas piadas secas, ao rui pela ajuda na 2º classe e na minha vida, ao Arcanjo por pensar como eu quando pensava mos que não eramos capazes de fazer alguma tarefa e depois conseguimos, obrigado á rita por não me deixar sair dos escoteiros=)

OBRIGADO aos chefes que se foram e que continuam no activo por fazerem de mim o que sou e pelos grandes momentos que passei...
Peço desculpa a quem não me referi mas se vos referi se nunca mais saia daqui....


P.S.- luisa obrigado pelo apoio na 2º classe (deu me jeito)

cenoura obrigado por tudo o que me ensinas te e pelas polainas que me salvaram a vida....


JESUITA XI

Luísa disse...

10 anos passaram desde que entrei neste Grupo, onde viria mais tarde a tornar-me chefe de Tribo. Tantas tristezas partilhas com a minha Tribo, tantas alegrias, tantas quedas, tantas caminhadas, tantos abraços, tantos gritos, Tantas chuvadas, tantas bolhas nos pés, tantos fogos de Conselho, tantos arranhoes nas pernas, tantas patrulhas, tantos gritos, tanta união, tantas pessoas que entraram e sairam... E tantas amizades que ficaram pra sempre gravadas no tempo...

Não tenho duvidas que crescer nesta familia, me tornou uma pessoa melhor... E o que me tornei hoje devo-o em grande parte a todos aqueles que sempre aqui estiveram pra me ensinar o que tento transmitir hoje...

Apesar de alguns ja não estarem tão presentes, estarão sempre nos ensinamentos que deixaram...

Forte canhota e Boa Caça