domingo, 17 de maio de 2009

PTQuake' 09

Bem-vindos a mais um orgulhoso post do grande grupo 11 de Odivelas.

Desta vez para dar a conhecer ao mundo a participação do grupo num evento que ocorreu nos passados dias 5 e 6 de Maio de 2009, de seu nome PTQuake'09.

Trata-se nem mais nem menos do que um simulacro internacional, repito enfatizando , INTERNACIONAL , onde participaram países como Portugal, Grécia, Espanha, Chipre, e onde houve uma simulação em larga escala, envolvendo parcerias entre a Cruz Vermelha Portuguesa, Polícia Judiciária , Associação de Bombeiros Voluntários de Portugal , Protecção Civil Portuguesa, etc.




Mais pormenorizadamente, o simulacro tinha em vista simular diversas situações em caso de terramoto, tais como soterramento , queda de edifícios , desaparecimento em zonas florestais / campo , entre muitas outras.

Passemos então às introduções:

A representar a AEP:




João Rodrigues e Rodrigo Silva



A representar o Grupo 11 :



E finalmente, a representar a Tribo de Exploradores :



Pois é minha gente, Rodrigo Silva e João Rodrigues mais uma vez.


Sim, fomos os únicos representantes da AEP presentes no evento, mas falta de quantidade, não significa falta de qualidade, e de diversão .

Começámos a actividade às 12h na Sede dos Bombeiros da Pontinha, onde fomos introduzidos aos cavalheiros que seriam nossos companheiros, três bombeiros do quadro de honra, que iram fazer de vítima, tal como nós.


Após uns valente bacalhaus a todos os presentes, seguimos rapidamente para Póvoa de Santa Iria da Azóia, mais propriamente, para o quartel local dos Bombeiros, onde se reunirão imensas corporações de bombeiros da região de Lisboa principalmente.



Algum tempo de espera depois( que o resto das corporações chegassem ) chamaram-nos para almoçar. E QUE ALMOÇO que foi, imaginem o paraíso do frango assado, das batatas fritas, do pão e do suminho, agora multipliquem essa imagem pelo facto de cada vez que um dos nossos pratos ficava vazio, logo aparecia uma senhora simpática que os enchia de novo, para nossa alegria e deleite .


Resultado : Uma senhora de uma barrigada ( ahahah)





Feito isto ( ou comido isto ), foram-nos entregues umas folhas para colocarmos ao pescoço com o suposto estado que deveríamos fingir, e um boné.


Ao Rodrigo calhou : Decúbito dorsal com objecto empalado - não responde





E ao João : um simples Não Responde ( que mais tarde deu muito que falar )





E foi assim que começou a grande aventura, fomos então encaminhados ( mais o resto das pessoas que iriam fazer de vítimas) para um campo com diversos tubos de construção soterrados debaixo de terra e debaixo de escombros, isto tudo após termos dado uma entrevista a um repórter do Correio da Manhã , e de termos sido separados dos cavalheiros que até então estavam connosco.


Chegou a K9 ( força canina ) Portuguesa ao local, e após termos visto praticamente todos os cães do local ( como quem diz ficar sentados sem fazer nenhum durante 1 hora e picos) e ter chegado o aviso de que os Gregos já se encaminhavam para o local ( os gregos iriam tratar do resgate das vítimas do local e não sabiam onde nós estávamos ) , fomos enterrados ( eu e o Rodrigo ) dentro de um desses tubos mínimos ( diga-se de passagem, também muito incómodos e quentinhos, para não dizer outra coisa ) .

E foi assim que ficam durante 5 minutos,


1 hora...2 horas ... Mas o que é que os Gregos andavam a fazer para não nos encontrarem ( proferindo insultos contra estes senhores, insultos escotistas, muito escotistas obviamente) ? 2 horas e 30 minutos ... Começámos a rirmo-nos de tudo e de nada, especialmente do senhor dos Bombeiros ( que sabia onde nós estávamos ) que ia falar connosco de 20 em 20 minutos a perguntar se estava tudo bem e a dizer que só demoraria mais 15 minutos.
(único buraquinho que tínhamos no tubo para o mundo real )





15 minutos, 15 minutos o tanas. Já faziam 3 horas que estávamos exactamente no mesmo sítio e nada, já nós desejávamos que o nosso cheiro fosse mau o suficiente para os cães gregos nos encontrarem, cheiro este que só foi descoberto 3 horas e meia depois de termos sido enterrados no tubo.




Assim que o grego nos viu a fingir de inconscientes, imediatamente pediu ajuda e chamou um médico português para nos perguntar se estávamos consciente ou se estávamos mesmo mal, ao qual respondemos em uníssono, de olhos fechados , "Sim " ( mas por que raio é que a indicação do nosso estado estava em português se eram os gregos que nos vinham salvar ??!! )


Tiveram um grande esforço para nos tirar do tubo sem a nossa cooperação, especialmente porque estávamos muito apertados e encaixados de uma forma estranha ( uuhhhhh !! ), mas lá obtiveram sucesso e colocaram-nos em macas , tendo o Rodrigo mais cuidados e levado imediatamente de ambulância para o hospital de campo, enquanto eu, tive uma aventura hilariante com um camarada brasileiro que tinha de fingir estar inconsciente, mas que tinha vontade de ir urinar ( foi um grande riso ) ao qual eu tive de pedir em inglês aos gregos (sim senhora) se ele podia lá ir; sendo também eu levado para o hospital de campo, com menos cuidados.



Tudo este confinamento e suor no tubo abriu-nos apetite, que foi saciado no reencontro na zona da janta, e que seria um momento de convívio com todos os presentes ( demasiado convívio até, como quem diz, mais uma hora sentados, sem fazer nada , sem cães para ver ) .



E assim terminou a grande aventura, com o nosso regresso a casa, estoirados, mas orgulhosos e com um sorriso à 11 !!




Comentários por parte dos participantes :




Rodrigo : " Foi uma actividade interessante, deu para perceber que em termos de equipamento os bombeiros estão muito bem equipados, mas quanto ao treino assim, ainda há muitas falhas, se fosse uma situação real não sei quantos de nós, vitimas, sobreviveriam, visto que eu e o João estivemos num tubo 3h30m, e era suposto termos sido dos 1ºs, dá que pensar... no entanto foi uma boa actividade e é uma pena não ter havido mais participação escotista do nosso grupo, o que é compreensivel visto que foi muito em cima, de qualquer das maneiras, 11 sempre em grande !!"





João: " Uma excelente actividade, que para além de nos mostrar o grande trabalho que é ser Bombeiro , nos mostrou como tudo funciona por detrás das câmaras. Após ter estado 3h30 m com o Rodrigo num tubo, posso afirmar que nunca estive tanto tempo colado, literalmente a alguém, nem mesmo à minha namorada ( Rodrigo, casa comigo !! ). Também foi hilariante o facto de ter sido tomado como surdo-mudo por ter obedecido ao que o meu papel dizia. Um grande bem-haja aos Bombeiros de Portugal e tantas outras pessoas que dão o couro que têm e que não têm para o bem-estar de pessoas que não conhecem. Um grande bem-haja também ao osso da anca do Rodrigo, que me manteve com dores durante 3h29m; e ao 11, mas isso era óbvio!!"



João Rodrigues
TeX - G11

9 comentários:

João disse...

EU QUERO O MEU BONÉ !!!!!!
ELES NÃO SALVARAM O MEU BONÉ !!!

Rodrigo disse...

Mentira. Eles deixaram cair o teu boné, eu peguei no teu boné, e deixaram cair o meu. Logo, eu tenho o teu boné xD

foi hilariante fazer de morto no hospital em que perguntaram cerca de 3 pessoas diferentes qual era o cenário ao qual eu pertencia, e quando disseram qual era, ficava tudo muito admirado e rapidamente me vinha perguntar se eu estava bem, o que não correu lá mto bem pois o meu papel era fazer de inconsciente xD o que daí trouxe alguns problemas e realmente vieram pessoas auxiliar-me, até que lá disse que tava tudo bem xD Só para terem uma noção do exagero de tempo que tivémos no cenário.

Viva o 11!

Carmo disse...

Este pessoal tá sempre em grande!!

Yeah!!

Boa caça, malta! Bom exemplo para o Grupo e para os escoteiros, em geral! Essa das 3h30 no tubo é que... vá, foi de propósito! Vocês pediram!

Hasta

Marta disse...

lol, parece ter sido uma grande actividade.
Houve pouca comunicação da existência dessa actividade, daí não ter havido grande participação.
Grupo 11 sempre em grande :)

andreia g disse...

o 11 está lá SEMPRE.

GonçaloEsquilo disse...

Pelos visto foi uma grande actividade da qual tive pena de não ir...mas nao podia mesmo faltar as aulas.

Diogo Costa disse...

Muito, muito bom...

TEX a bombar....

Canhota

Ana Ferreira disse...

Boa pessoal! Ficaram ao menos com uma noção do que é um simulacro :)


Canhotas

Anónimo disse...

Foi na Póvoa de Santa Iria (só assim) não tem Azoia!!! ;)